segunda-feira, 2 de março de 2009

Faça uma auditoria ambiental a si próprio

Todos os dias somos bombardeados com informação sobre os mais variados problemas ambientais: Alterações climáticas, buraco na camada de ozônio, poluição atmosférica, marés negras, desmatamento de florestas, resíduos nucleares, seca, cheias, incêndios florestais...
Tudo problemas que parecem tão enormes e catastróficos que nos sentimos impotentes para os resolver e que por outro lado nos parecem tão distantes que parece que não afectam o nosso dia-a-dia. Resultado: a maioria de nós enfia a cabeça na areia como a avestruz e espera que o Estado ou as associações ambientalistas façam alguma coisa.
Temos é que pensar que estes problemas resultam, em grande média do somatório dos danos ambientais que cada um de nós causa e por isso temos a obrigação de começarmos nós mesmos a tratar deles e a darmos o exemplo.
Deixo aqui uma proposta para começar a arregaçar as mangas e agarrar uma oportunidade de aprender mais sobre o ambiente através do seu próprio exemplo. Faça uma auditoria ambiental a si próprio!

Faça a si mesmo estas questões (e outras de que se lembre):
Separo os materiais recicláveis do lixo?
Compro produtos menos embalados?
Reutilizo todos os produtos que posso?
Consumo mais do que necessito?
Tenho, em casa, torneiras que pingam?
Tomo duchas com duração acima de 5 minutos?
Deixo a torneira a correr enquanto faço outras coisas?
Quando saio de uma divisão da casa apago a luz?
Uso lâmpadas de baixo consumo?
Apago a televisão ou deixo no stand-by?
Abro a porta do frigorífico vezes a mais?
Tenho as portas e janelas bem calafetadas para evitar perdas de calor?
Ando de carro quando posso ir a pé ou de transportes públicos?
Tenho uma condução econômica?
Imprimo documentos e e-mails desnecessariamente?
Uso as folhas de papel dos dois lados?
Os meus eletrodomésticos têm alta eficiência energética?
Compro preferencialmente produtos locais?
Descongelo os alimentos com antecedência ou em cima da hora, no microondas?
Comprei plantas ou animais exóticos sem saber se têm proveniência legal?


Boa auditoria!

Nenhum comentário: