terça-feira, 27 de setembro de 2011

LEGISLAÇÃO FUNDAMENTAL


Conforme solicitação de alguns alunos, sobre o que começar a estudar para entender a legislação educacional brasileira, segue um pequeno esquema para Norte de todos....farei outros post sobre o tema.

Att,

Prof. Eduardo

Reunimos aqui a legislação que regulamenta o Sistema Educacional Brasileiro. A Legislação Fundamental engloba LDB, CNE, Fundef e o acesso às emendas, leis e medidas provisórias destinadas aos níveis e modalidades de ensino.

Informações sobre:

LDB — Lei de Diretrizes e Bases da EducaçãoInstituída pela lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, promove a descentralização e a autonomia para as escolas e universidades, além de estabelecer um processo regular de avaliação do ensino.

Texto completo e atualizado da LDB e leis complementares.

Fundef — Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério

Instituído pela emenda constitucional n.º 14, de setembro de 1966, e regulamentado pela lei n.º 9.424, de 24 de dezembro de 1966, e pelo decreto n.º 2.264, de junho de 1997, o Fundef foi implantado nacionalmente em 1.º de janeiro de 1988.

Ensino Médio

Lei, pareceres e resoluções sobre a LDB e o DCNEM (Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio), informações e regulamentações do curso.

Educação a Distância

Decretos e portaria sobre a regulamentação e o credenciamento de instituições para a oferta de cursos de graduação e educação profissional tecnológica a distância.

Educação Profissional

Decreto e portaria sobre a regulamentação da educação profissional.

Educação Superior

Estatutos e regimentos das instituições de Ensino Superior — IES, adaptação da LDB, decretos, editais e portarias que dispõem sobre formação em nível superior de professores, regulamentação das IES, processo de avaliação dos cursos e instituições de Ensino Superior, ofertas de disciplinas, credenciamento de universidades, centros universitários, faculdades, institutos ou escolas superiores, requisitos de acessibilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais e autorização e reconhecimento de cursos seqüenciais de Ensino Superior.

CNE – Conselho Nacional de Educação

Instituído nos termos da Lei 9.131, de 24 de novembro de 1995, o CNE tem como objetivo, buscar democraticamente alternativas e mecanismos institucionais que possibilitem, assegurar a participação da sociedade no desenvolvimento, aprimoramento e consolidação da educação nacional.

domingo, 25 de setembro de 2011

Personagens da Educação

Estimados acadêmicos....

Vamos conhecer os principais teóricos educacionais .... e começaremos por Piaget (imagem do busto ao lado), primeiramente pela sua formação de base a Biologia e na sequência toda a importância de suas descobertas para educação.

Prof. Eduardo

Site consultados:

Formado em Biologia, Piaget especializou-se nos estudos do conhecimento humano, concluindo que, assim como os organismos vivos podem adaptar-se geneticamente a um novo meio, existe também uma relação evolutiva entre o sujeito e o seu meio, ou seja, a criança reconstrói suas ações e idéias quando se relaciona com novas experiências ambientais. Para ele, a criança constrói sua realidade como um ser humano singular, situação em que o cognitivo está em supremacia em relação ao social e o afetivo.


Conhecendo um pouco de Piaget.

Sir Jean William Fritz Piaget (Neuchâtel, 9 de agosto de 1896 - Genebra, 16 de setembro de 1980) foi um epistemólogo suíço, considerado o maior expoente do estudo do desenvolvimento cognitivo.

Estudou inicialmente biologia na Universidade de Neuchâtel onde concluiu seu doutorado, e posteriormente se dedicou à área de Psicologia, Epistemologia eEducação. Foi professor de psicologia na Universidade de Genebra de 1929 a 1954, e tornou-se mundialmente reconhecido pela sua revolução epistemológica. Durante sua vida Piaget escreveu mais de cinqüenta livros e diversas centenas de artigos.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O Mito da Mariposa Biston Betularia


Estimados alunos!

Segue material para reflexão de vocês.

Att.

Prof. Eduardo

Fonte de onde o texto foi retirado:
http://evolution-myth.blogspot.com/2008/04/o-mito-da-mariposa-biston-betularia.html

Fonte: Answers In Genesis
Tradução e Adaptação: J.S. Cavani

Há um exemplo muito estudado pelos evolucionistas conhecido comomelanismo industrial. Este exemplo é tão clássico que nas escolas públicas (High School) de ensino médio de países como os EUA (onde estudei por quatro anos), tornou-se um ritual que os professores de biologia fazem todo ano: passar um vídeo mostrando como o melanismo industrial comprova evolução em ação. A estória é mais ou menos assim: a mariposa Biston betularia existia em duas formas: clara e escura. A poluição vinda da Revolução Industrial havia escurecido os troncos das árvores matando os líquens que nelas existiam (e que davam uma coloração clara as árvores). A mariposa clara que antes estava bem camuflada pela tonalidade clara dos troncos, agora era mais visível (pois os troncos perderam a tonalidade dada pelo líquem), e os pássaros começaram a fisgá-las com mais facilidade. Assim a proporção de mariposas escuras aumentou drasticamente. Mais tarde a poluição diminuiu, e a mariposa clara tornou-se predominante novamente.


A mudança em números das mariposas foi cuidadosamente documentada. Adicionando a isto os pássaros foram filmados comendo preferencialmnete as mariposas menos camufladas. Segundo os evolucionistas, isto era então a seleção natural direcionando a evolução (embora não existe nenhuma evolução, mas apenas seleção natural). No entanto esta estória clássica apresenta bastante furos. Estas mariposas não repousam sobre troncos de árvores durante o dia. O Cientista britânico Cyril Clarke, que investigou a mariposa Biston betularia extensivamente, escreveu: “O problema é que nós não sabemos onde as mariposas repousam durante o dia...Em 25 anos nós descobrimos apenas duas betularianos troncos das árvores ou nas paredes adjacentes à nossas armadilhas... e nenhuma mariposa em qualquer outro lugar.”[1]


As mariposas filmadas que foram comidas pelos pássaros eram mariposas criadas em laboratório que foram colocadas nas árvores. As fotos que foram tiradas das mariposas nas árvores eram na verdade mariposas mortas coladas nas árvores.[2] Em outras palavras, os filmes que foram filmados e os livros que foram escrito a respeito tinham muitas fotos fraudulentas. O biologista evolucionário Jerry Coyne da Universidade de Chicago concorda que a estória das mariposas, que era o cavalo favorito para a corrida, precisa ser jogado fora. Ele disse que ao realizar a verdade sobre as mariposas, isto provocou nele o mesmo sentimento que ele teve quando descobriu que o Papai Noel não existia.[3] E o íncrivel é que a indoutrinação de milhões de estudantes ainda continua.


[1] C.A. Clarke, G.S. Mani e G. Wynne, Evolution in reverse: clean air and the peppered moth, Biological Journal of the Linnean Society26:189–199, 1985; p. 197.

[2] D.R. Lees & E.R. Creed, Industrial melanism in Biston betularia: the role of selective predation, Journal of Animal Ecology 44:67–83, 1975.

[3] J.A. Coyne, Nature 396(6706):35–36.


Fonte: http://www.answersingenesis.org/creation/v21/i3/moths.asp

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Gestão Ambiental - Tema Norteador

Estimados,

Segue como tema norteador para a avaliação:

"Pensar quais seriam os fundamentos básicos e sua utilização para efetivar uma administração ambiental"

Iniciem uma leitura aplicada na página: 05 do caderno de estudos.

Att.

Prof. Eduardo


quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Administração ambiental



Estimados meus alunos da Gestão Ambiental....vamos aquecer nossos neurônios para a disciplina, segue informações sobre a Administração Ambiental (http:// www.ecocasa.com.br)

.....att Prof. Eduardo


O aparecimento da economia mundial globalizada e suas conseqüências vem trazendo às empresas oportunidades de expansão e aquelas que conseguem perceber esta nova tendência mundial, poderão criar mercados cada vez maiores, graças as novas tecnologias da comunicação e seus produtos poderão alcançar consumidores de outros países com menos esforço.

Para isso os empresários e as empresas devem desenvolver uma nova filosofia e adequar seus parques industriais e seus produtos a um fator cada vez mais importante na comercialização: o fator ambiental. Por que? Porque a conscientização dos problemas ambientais que a poluição crescente vem trazendo tem feito com que as pessoas fiquem mais exigentes, quanto a qualidade dos produtos que adquire. Cresce o número de consumidores que exigem regras ambientais corretas na produção e nos serviços.

Assim, o fator ambiental vem mostrando a necessidade de adaptação das empresas e conseqüentemente direciona novos caminhos na sua expansão. As empresas devem mudar seus paradigmas, mudando sua visão empresarial, objetivos, estratégia de investimentos e de marketing, tudo voltado para o aprimoramento de seu produto, adaptando-o a nova realidade do mercado global e corretamente ecológico. Prova desta necessidade de melhoria da qualidade ambiental global é o crescente número de empresas que passaram a adotar as normas da série ISO 14.000, que tratam da qualidade ambiental da produção e do produto em si, bem como o crescente número de empresas em vários setores que passaram a adotar os selos de qualidade para que os consumidores possam identificar os produtos corretos ecologicamente.

A globalização, a expansão das indústrias e a sua necessária adaptação ao referido fator ambiental para que haja menor agressão ao ambiente, exige do administrador de empresas moderno uma nova visão de trabalho e conseqüentemente uma nova forma de administração: a administração ambiental.

Dentre as atividades da necessária administração ambiental podemos sugerir que as empresas tentem: minimizar o impacto dos resíduos da produção no ambiente; reciclar e reutilizar produtos, bem como elaborar sua contabilidade ambiental colocando no ativo o imobilizado referente aos equipamentos adquiridos visando à eliminação ou redução de agentes poluidores com vida útil de um ano; os gastos com pesquisas e desenvolvimento de tecnologias a médio e longo prazos; os estoques relacionados com o processo de eliminação dos níveis de poluição; creches, empregos gerados, áreas verdes etc. e no passivo toda agressão que se pratica ou praticou contra o Meio Ambiente; o valor dos investimentos para reabilitá-lo; as multas; indenização; gastos com projetos e licenças ambientais; restrições a empréstimos, entre outros, conforme normas da Ibracon- Instituto Brasileiro de Contabilidade.

As empresa deverão também executar programas internos de educação ambiental visando conscientizar seus empregados das novas diretrizes, sem o que dificilmente conseguirá obter sucesso neste empreendimento. Deve-se, ainda, ter sempre em mente que a exigência ambiental têm propiciado o surgimento a nível planetário do“ecobusiness”, ou seja, de negócios e produtos ecologicamente corretos, principalmente nos países ricos, de sorte que se as indústrias nacionais não se adaptarem a estas novas exigências do mercado começarão a perder espaço na comercialização.