A reinauguração será precedida por solenidade na Assembléia Legislativa do Estado. Assembléia em homenagem aos 55 anos do início das atividades da Petrobras. A solenidade terá início às 14hs do dia 1º de outubro. Após a sessão, haverá o deslocamento até a Praça da Alfândega onde será reinaugurada a Torre do Petróleo.
Um pouco da história da Torre do Petróleo.
Após sua instalação pelo CAAR e pelo Grêmio Estudantil do Colégio Júlio de Castilhos, em 1963, a Torre do Petróleo se transformou em um local de referência de atos e mobilizações populares contra o Regime Militar instalado no ano seguinte, 1964. Assim, em 1972 os militares decidiram retirar a Torre do Petróleo da Praça da Alfândega para impedir a continuidade dos protestos.
Por muitos anos a Torre do Petróleo ficou desaparecida.
Como primeiro Prefeito eleito após o Regime Militar, Alceu Collares – ao reencontrar a Torre do Petróleo em um depósito do município – decidiu reinstalá-la. Então em 1986 ela foi recolocada, mas não em seu local original: instalou-se a Torre do Petróleo na Praça Barão do Rio Branco, em frente ao prédio dos antigos Correios e Telégrafos. Em 1989 colocou-se, junto à Torre, também uma placa em “homenagem aos petroleiros do povo gaúcho em defesa do Monopólio Estatal do Petróleo e da Petrobras, contra os contratos de risco”.
Em 1993 o então vereador Raul Carrion, em contato com a prefeitura, conseguiu que se recolocasse a Torre do Petróleo na Rua Sete de Setembro, próximo a agencia Matriz do Banrisul. Já em 2006 a Torre foi novamente deslocada para a Rua Capitão Montanha, em frente à agência Matriz do Banrisul, através de um ato em homenagem à conquista da auto-suficiência em petróleo.
Em 2007, para obras de recuperação da Praça da Alfândega, a Torre foi novamente retirada com o compromisso de que seria realocada tão-logo fosse possível. Contudo, em fevereiro de 2009 ela foi encontrada abandonada em um parque, sem previsão de retorno à Praça, o que foi denunciado à época pelo Sindicato dos Petroleiros do Rio Grande do Sul nos órgãos de imprensa.
A partir de então, sob a coordenação do Dep. Raul Carrion, diversas entidades se mobilizaram para que a Torre fosse reinstalada na Praça da Alfândega, a saber: Sindipetro-RS, Sintramico, Sulpetro, Comissão Gaúcha em Defesa do Monopólio Estatal do Petróleo, UNE, UBES, Grêmio Estudantil do Colégio Júlio de Castilhos e CAAR.
Assim, com o apoio do Secretário do Meio Ambiente de Porto Alegre, foi realizada, em 30 de março deste ano, uma reunião com o Prefeito José Fogaça para tratar do assunto – reunião esta a que o CAAR esteve presente. Ali se firmou o compromisso de que a Torre do Petróleo retornaria ao seu devido local.
Assim, agora, em vista do dia 3 de outubro, que marca as comemorações dos 55 anos do início da Petrobras, a Torre do Petróleo será reinaugurada no dia 1º de outubro, após Grande Expediente Especial da Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.